Dica para trabalhar Educação Ambiental com crianças

Dica para trabalhar Educação Ambiental com crianças
Rate this post

Muitos professores procuram dicas de como trabalhar questões ambientais em sala de aula. Esta é uma proposta de trabalho para educação infantil usando como tema o Protocolo de Kyoto.

Leia, a seguir, um artigo publicado na revista Ciência Hoje das Crianças, em setembro de 2007. Parece coisa antiga, mas ajuda a gente a entender que a preocupação com a Terra e com o aquecimento global já vem esquentando a cabeça das pessoas mais responsáveis há bastante tempo. No entanto, sabemos que ainda há muita gente que parece não se importar com o futuro do planeta.

Ele nasceu do outro lado do mundo, em uma cidade do Japão chamada Kyoto. O ano era 1997. Mas só em 16 de fevereiro de 2005 entrou em vigor. Estamos falando de um acordo entre vários países do mundo que tem o objetivo de reduzir a quantidade de seis tipos de gases que são lançados diariamente na atmosfera. Gases que estão relacionados ao aumento recente da temperatura da Terra e às mudanças no clima do planeta.
Acordo internacional firmado até hoje por 171 nações, entre elas o Brasil, o Protocolo de Kyoto prevê que, até 2012, se reduza a quantidade de gás carbônico e de outros cinco gases: metano, óxido nitroso e três gases com flúor em sua composição. Mas reduzir quanto? Um pouco mais de 5% do que foi emitido em 1990. Imagine que, em 1990, toda a produção dos gases que estão no alvo do Protocolo de Kyoto coubesse em cem compartimentos iguais. Em 2012, o objetivo é que a produção desses gases, no total, não ocupe mais do que 95 desses compartimentos.
Para atingir essa meta, os países devem alterar seus sistemas de transporte e de uso de energia para diminuir, principalmente, a produção de gás carbônico, que, de todos os gases citados, é o mais relacionado à atividade humana, logo o mais dependente de nossas ações para ser reduzido. Muito gás carbônico é produzido no mundo, por exemplo, com o uso de carros em vez da utilização do transporte de massa (como trem ou metrô). Mudar essa situação é uma das propostas do Protocolo de Kyoto, que incentiva o uso de energia renovável, como a solar e a dos ventos, no lugar de combustíveis, como o petróleo e o carvão.
Alguns países europeus, por exemplo, têm conseguido diminuir ou frear as suas emissões de gás carbônico nos últimos anos. São iniciativas aparentemente de pequena proporção que estão ajudando, como a criação de condomínios inteligentes, que aproveitam ao máximo a energia solar e propõem um uso mais racional da água, com o aproveitamento até da que vem da chuva. Na contramão dessa tendência, porém, estão países como Estados Unidos, que se recusam a cumprir o Protocolo de Kyoto, com o argumento de que não estaria provado que o clima da Terra está mudando e que isso estaria ligado à emissão dos gases mencionados.
Ruim é saber que, enquanto as evidências não convencem alguns países a pôr em prática as ações previstas pelo protocolo de Kyoto, o tempo passa e a situação se agrava. Dados têm mostrado que a diminuição proposta pelo acordo internacional pode não ser mais suficiente para garantir a segurança do planeta. Isso porque oceanos não têm conseguido absorver o gás carbônico presente na atmosfera e o solo ainda tem liberado mais e mais. Mas essa notícia não deve nos desanimar. Ao contrário, ela deve nos incentivar a agir o quanto antes. Você não acha?

Jean Remy Davée Guimarães – Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

1) O texto foi publicado por uma revista chamada Ciência Hoje das Crianças, que é organizada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. A fonte de publicação do texto nos dá…

( ) a ideia de que as informações são sérias e confiáveis.

( ) a ideia de que as informações são inconsistentes e não devem ser levadas a sério.

2) A citação do autor do texto ajuda a construir uma ideia de credibilidade para as informações divulgadas. Explique essa afirmação.

3) Leia um dos significados da palavra PROTOCOLO:

Registro de uma conferência ou deliberação diplomática.
Fonte: Dicionário Michaelis

O que você compreendeu sobre o significado do Protocolo de Kyoto?

4) Releia o parágrafo a seguir:

Alguns países europeus, por exemplo, têm conseguido diminuir ou frear as suas emissões de gás carbônico nos últimos anos. São iniciativas aparentemente de pequena proporção que estão ajudando, como a criação de condomínios inteligentes, que aproveitam ao máximo a energia solar e propõem um uso mais racional da água, com o aproveitamento até da que vem da chuva. Na contramão dessa tendência, porém, estão países como Estados Unidos, que se recusam a cumprir o Protocolo de Kyoto, com o argumento de que não estaria provado que o clima da Terra está mudando e que isso estaria ligado à emissão dos gases mencionados.

a) Esse parágrafo nos mostra uma oposição entre as posições assumidas pelos países do mundo frente ao Protocolo de Kyoto. Quais são os países que estão em posições opostos, de acordo com esse trecho do texto?

b) Quais são as posições que cada um desses países defende?

c) Qual é o sentido da expressão NA CONTRAMÃO, que aparece nesse trecho?

5) Em dezembro desse ano(2009), houve novo encontro de nações, numa cidade chamada Copenhague, na Dinamarca, para produzir o acordo que definiu a política climática internacional para a segunda fase do Protocolo de Kyoto. Quem será responsável pelo quê? Como os países conseguirão diminuir a emissão de gases? Como vão conseguir dinheiro para financiar as medidas necessárias? Essas são algumas das questões que foram discutidas em Copenhague.

Escreva uma carta aos dirigentes que se reuniram em Copenhague. Nessa carta, você deverá esclarecer o seu posicionamento sobre a questão do aquecimento global e deverá sugerir as melhores medidas que os países deverão tomar. Lembre-se de explicar por que as medidas que você sugere poderiam ser eficientes.

 

No Comments

Leave a Reply