Cuidados com a saúde do cão

Animais
fevereiro 25, 2013

Cachorro fica triste? Não como um ser humano, mas tem dias que seus olhos perdem a vivacidade e seus movimentos parecem hesitantes. E com o gato é a mesma coisa. Fica quietinho num canto e nem mesmo se interessa em alisar a pelagem. O pior é que não adianta nada perguntar a eles o motivo de tanta apatia.

PLANO-DE-SAUDE-PARA-CACHORRO-ANIMAL-DE-ESTIMACAO

Na maioria das vezes, a perda de apetite ou peso, os olhos lacrimejantes e a barriga estufada são sintomas que indicam existência de vermes, que os médicos veterinários chamam de parasitos intestinais. Estes vermes localizam-se no sangue, vivendo do alimento, da saúde do animalzinho. Por esta razão, não se deve considerar a verminose como algo sem importância: os parasitos têm o poder de provocar anemia e segregam perigosas toxinas, minando a resistência do organismo, deixando-o sujeito a doenças mais graves. Além disso, causam graves irritações intestinais e determinados problemas na pele que se percebem pelo aspecto da pelagem do animal.

COMO SE DÁ A TRANSMISSÃO

Por mais saudável e limpa que seja a alimentação de um gato ou cachorro, há sempre a possibilidade de eles ingerirem ovos de vermes, invisíveis a olho nu e que, uma vez assimilados, vão se instalar nos intestinos, onde se desenvolvem, passando a formas adultas. Estas formas eliminam ovos que saem com as fezes e voltam à terra, contaminando o solo. Daí a dificuldade de controlá-los completamente.

25-07-201206-27-58passeio_cachorro_saude

Muitas pessoas evitam dar aos animais porções de carne crua, pois acreditam que elas sejam portadoras de vermes. É apenas uma crendice popular: a carne que se consome em casa é livre de doenças e não transmite nenhum tipo de parasito, já que passa por uma rigorosa inspeção técnica antes de ser liberada para a venda.

Alguns vermes, entretanto, são transmissíveis através das irritantes pulgas. Elas próprias ingerem ovos de vermes — contidos no pêlo ou na pele do animal e, quando ele se coça com os dentes poderá, eventualmente, ingerir uma pulga e assim se contaminar.

A IMPORTÂNCIA DOS VERMÍFUGOS PARA CACHORROS

Depois que se descobre a existência de vermes, é necessário ministrar imediatamente o remédio: um vermífugo. Aí, pode acontecer o primeiro erro. Nem todos os vermífugos são iguais: uns combatem um tipo de verme, outros são inofensivos para parasitos mais resistentes, enquanto certos medicamentos podem prejudicar mais que os próprios vermes. Não existe, na verdade, um vermífugo que atue satisfatoriamente para os diversos tipos de vermes. Daí a necessidade de fazer um exame de fezes, assim como se faz com crianças pequenas.

Determinado o tipo de parasito (existem quatro tipos mais comuns) é possível aplicar a medicação adequada. Para os gatos, devem ser tomados cuidados especiais, porque eles são sensíveis a uma série de medicamentos. Somente o veterinário está capacitado para receitar um vermífugo e estipular a dose. Certos medicamentos, por exemplo, apenas entorpecem os vermes (que serão eliminados intatos pelas fezes). Outros matam os parasitos, que depois serão absorvidos pelo organismo sem causar problemas.

Mesmo depois do tratamento, o animal ainda corre o risco de uma recaída ou, como querem os médicos veterinários, de uma reinfestação. É um risco que todo cão e gato corre, desde que vivam em estreito contato com outros animais da redondeza. Isto significa que os vermífugos têm uma ação limitada, ou seja, combatem os vermes já instalados no organismo, mas não têm a propriedade de funcionar como vacina ou tratamento preventivo.

É justamente por isto que há necessidade de fazer um controle dos parasitos, através de periódicos exames de laboratório. Os animais adultos são mais resistentes ao ataque dos vermes e também reagem
melhor aos tratamentos, havendo uma recuperação rápida. Além de tudo, sua constituição mais forte diminui consideravelmente o risco de recaídas. Já os pequeninos são as maiores vítimas, pois se encontram ainda sem qualquer defesa contra os parasitos. E estes, além de debilitarem sua saúde, ainda prejudicam seu desenvolvimento normal. É por esta razão que se recomenda iniciar o controle dos vermes a partir de 30 a 45 dias de idade.

Passada a fase crítica, os exames de laboratório podem ser repetidos mensalmente $té o filhote atingir um ano de idade. A partir de então, apenas um controle anual já é satisfatório — desde, é claro, que não haja muita oportunidade de infestação. As pessoas que possuem cães de treinamento devem iniciar o controle de parasitos antes do período marcado para o aprendizado. É evidente que todo cachorro terá melhores condições de aprender as lições e receber ordens se estiver saudável, ativo, disposto, livre de verminoses.

É MELHOR PREVENIR QUE REMEDIAR

Quando se percebe que uma cadela ou gata está em estado de gestação e ainda não fez tratamento contra vermes é bom saber que elas terão maiores possibilidades de contaminar seus filhotes: a transmissão pode dar-se através das mamas ou, então, em contato direto com o solo, que é sempre fértil para parasitos. Para evitar que logo no início os filhotes sofram com os vermes, convém controlar as fezes da mãe, desde o cruzamento até a segunda semana de gestação. Esse controle deve ser orientado pelo veterinário que indicará também os remédios que serão administrados.

16_MHG_saude_cachorro5

Agora que já se conhecem todas as manifestações e os possíveis tratamentos que combatem a verminose, é bom ter em mente que, para conservar o animalzinho sempre saudável, feliz e contente em casa, é necessário que sua alimentação seja sempre controlada, as pulgas eliminadas, o ambiente em que vive muito limpo e que seu dono não se esqueça de levá-lo ao veterinário quando qualquer sinal indicar que o bichinho não está bem de saúde.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply