Conjuntivite – sintomas e tratamentos

Saúde e Beleza
agosto 28, 2012

O que se conhece como conjuntivite?

Dá-se este nome à inflamação da conjuntiva. A conjuntiva é uma fina membrana mucosa que consta de três partes: uma que cobre a superfície interna das pálpebras, ou conjuntiva palpebral; outra que reveste a porção anterior globular e é chamada de conjuntiva ocular ou bulhar e finalmente, o saco conjuntival, que forma uma dobra entre a pálpebra e o globo ocular.

Aprenda mais sobre conjuntivite e compartilhe estas informações com seus amigos.

Deve-se a que?

A conjuntivite costuma ser produzida por bactérias e vírus. Pode ser causada também pela presença de substâncias irritantes, como o pó, fumaça, produtos químicos, etc, ou tem origem alérgica. Às vezes aparece como consequência de correntes de ar, esforços visuais ou simplesmente vista cansada.

Que tipo de conjuntivite se registra com maior frequência?

A conjuntivite é uma infecção ocular muito frequente, seja qual for sua procedência; entre as de apresentação aguda podemos destacar as bacterianas ou catarrais e as virulentas; entre as crónicas, as de origem alérgica. A virulenta apresenta características especiais, como acontece no caso chamado de conjuntivite folicular.

O que é a conjuntivite catarral?

É uma inflamação aguda da conjuntiva acompanhada de derrame mucoso ou mucopurulento.

É comum?

Muito, provavelmente é a mais comum de todas as infecções oculares.

É mais frequente em que idade?

Pode-se apresentar em qualquer idade, mas é mais frequente entre as crianças e os adultos jovens.

Quais são seus principais sintomas?

Comichão, coceira e pressão nas pálpebras, que parecem estar quentes e muito pesadas. Também é frequente o incómodo frente à luz (fotofobia). A visão não fica turva.

Estes incômodos oculares são contínuos?

Não, variam durante o dia, intensificando-se à noite. Sua intensidade vai depender do grau da inflamação.

Como se manifesta?

A conjuntiva adquire uma tonalidade vermelho-fogo e inchada, produzindo uma secreção mucosa ou mucopurulenta que pode chegar a ser muito abundante.

Quanto tempo dura?

A conjuntivite catarral costuma durar entre 10 a 15 dias, podendo tornar-se crônica e persistir durante meses, inclusive anos. Isto acontece com maior frequência em doentes de idade avançada.

Que circunstâncias favorecem a cronicidade?

Em especial, o contato com substâncias irritantes, como pó, fumaça, esforços oculares e excesso alcoólicos.

É contagiosa?

Sim, é muito contagiosa, tanto para o outro olho do paciente, que costuma adquirir a conjuntivite aos dois ou três dias, como para as pessoas que o cercam.

Como se contagia?

Através do contato com os dedos, lenços, etc, que tenham tido contato com a secreção conjuntival, podendo também ser contagiado pelo ar.

Costuma se apresentar associada a alguma outra doença?

Em algumas ocasiões costuma se apresentar associada ao catarro primaveral ou à gripe, podendo aparecer durante o sarampo ou logo após.

Que complicações costuma apresentar?

É frequente a blefarite (inflamação das pálpebras). Às vezes se produz eczema da pálpebra inferior, com o risco de ulceração corneal pela dissecação da córnea ao estar em contato contínuo com o ar. Algumas pessoas recomendam, como remédio caseiro, compressas frias.
O frio reduz a congestão da conjuntiva e alivia o incómodo. Podem ser aplicadas compressas frias várias vezes ao dia durante 15 minutos.

Que deve ser feito diante de uma conjuntivite catarral?

É aconselhado procurar um oftalmologista, o qual indicará o procedimento a ser tomado.

O que é a conjuntivite folicular?

Uma inflamação da conjuntiva que se caracteriza pelo surgimento de pequenas tumorações no fundo do saco conjuntival e na conjuntiva palpebral.

Como se manifesta?

De maneira aguda se produz uma inchação e avermelhamento das pálpebras inferiores, com o surgimento de pequenos tumores que se estendem rapidamente, acompanhados de lacrimejes, que prontamente são convertidos em secreção aquosa, com inflamação paralela de um gânglio (adenopatia) diante do pavilhão auricular. Às vezes produz pus, embora não seja usual.

É contagiosa?

Sim, muito, e além do mais costuma se propagar com facilidade em lugares onde convivem muitas pessoas, como fábricas, quartéis, colégios, etc. A mais frequente fonte de infecção é a água das piscinas.

São úteis para o tratamento as gotas com antibióticos?

Neste caso os antibióticos não servem para nada, a menos que haja uma infecção bacteriana secundária, uma vez que não surtem efeito contra o vírus.

E as compressas de água fria?

Como no caso da conjuntivite catarral, são úteis, já que diminuem o mal-estar.

A conjuntivite alérgica é frequente?

Bastante. Costuma aparecer em indivíduos predispostos, com sensibilidade exagerada a determinadas substâncias que atuam como antígenos.

Apresenta alguma característica especial?

É crónica e recorrente: produz o lacrimejar em ambos os olhos, avermelhamento ocular e pouca secreção.

Podem aparecer complicações?

Costuma curar-se com o desaparecimento das causas que provocam a alergia.

É verdade que se pode contrair uma conjuntivite por contato venéreo?

Existe, com efeito, a conjuntivite gonocócica, que pode ser contraída por contato dos dedos que tenham tocado genitais infectados. Apresentando-se também em crianças recém-nascidas que são contaminadas ao passar pelo canal do parto, se a mãe sofre desta doença. Por isso é que se administra um colírio ao recém-nascido.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply