Como decorar a casa usando tapete persa

Blog
fevereiro 9, 2017

Seu valor nem sempre está relacionado com a idade. O que realmente conta no tapete persa é o material, pontos e tingimento utilizados na confecção.

Famosos e disputados em todo o mundo, os tapetes persas tiveram origem nas tribos nômades que percorreram a Ásia Central até o século VIII Tempos depois, estabelecidos na Pérsia (atual Ira), esses povos utilizavam os tapetes não só para forrar o chão, mas também como elemento decorativo em paredes, portas, janelas e camas.

COMO FAZER SUA AVALIAÇÃO

Delicados e feitos a mão, os tapetes persas serviram, inicialmente, para expressar os sentimentos dos artesãos, relatar fatos, descrever o meio ambiente (através de motivos que vão desde pássaros e flores até desenhos geométricos) e representar cenas da vida diária.

Atualmente, visando à comercialização, seus desenhos apresentam inúmeras modificações de estilo, o que dificulta muito seu reconhecimento e avaliação. Entretanto, para que essa tarefa possa ser feita, pode-se tomar como base:

Material utilizado — Na tecelagem de um tapete persa podem ser usadas várias fibras. Na trama — aqueles fios que percorrem o tecido no sentido transversal —, por exemplo, são empregados lã torcida, seda ou algodão. Na urdidura — fios que percorrem o tecido no sentido do comprimento — entram lã ou seda. Além disso, certos tapetes podem ser trabalhados, ao mesmo tempo, em lã e seda para realçar determinados pontos. Avaliação: fibras mais torcidas originam tecelagem mais firme, durável e valorizada.

Pontos — Para se ter uma ideia do exaustivo trabalho de um tapete persa, ele conta com aproximadamente vinte a cem nós por centímetro quadrado, levando de dois a oito meses (dependendo da qualidade) para ser feito um metro quadrado. Pontos apertados resultam de uma trama mais fechada, enquanto pontos largos, de trama mais aberta, se desgastam com maior facilidade e são menos valorizados.

Tingimento — Cores firmes e brilho também indicam a boa qualidade do tapete persa. Para que esses resultados sejam alcançados, os tecelões utilizam uma tinta especial — preparada com seiva vegetal (casca de romã, raízes de árvores, etc), produtos químicos e iogurte. Depois de tingida, a lã é enxaguada e levada a uma fonte de água com alto teor de mercúrio, onde permanece por um dia, para fixar a cor e o brilho.

O TAPETE NA DECORAÇÃO

Um tapete persa proporciona a uma casa elegância, personalidade e, além de tudo, é sinal de muito bom gosto. Combinando com móveis de estilo, não perdem em nada quando usados em um ambiente moderno.

Para que suas cores pareçam mais vibrantes, deve-se colocá-lo no “sentido do pêlo” — o que pode ser verificado pelo tato —, em posição favorável para quem observa.

Por outro lado, quando muito usados e frouxos, deve-se colocar um feltro grosso no avesso, medida que lhe restitui quase toda a antiga firmeza. Tapetes pequenos, colocados sobre superfícies muito escorregadias, podem ser forrados com uma camada de espuma de náilon.

PRINCIPAIS CUIDADOS

Um tapete persa — considerado novo com até 30 anos; velho, de 30 a 60 anos; e antigo, depois de 60 anos — merece cuidados muito especiais para sua conservação:

1)  Diariamente, ou  quando for preciso, varrer no sentido do pelo, senão a poeira penetra mais.

2)  Uma vez por mês, usar aspirador de pó, respeitando-se também o sentido do pelo.

3)  De quatro em quatro meses, expor o tapete ao sol (do lado do avesso),   eliminando-se,  com isso, eventual umidade retida na trama.

4)  Uma vez por ano, enviar o tapete  a uma oficina especializada para lavagem a seco.

5)  Para    conservar    por    mais tempo a cor original, colocar o tapete longe de janelas e portas envidraçadas, pois o sol poderá desbotar as partes expostas.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply