Como decorar a casa com flores artificiais

Como decorar a casa com flores artificiais
Rate this post




Elas não só funcionam como elemento de decoração, deixando tudo bem mais alegre, como tornam mais bonito qualquer ambiente.

Pelas exigências da vida moderna, um número cada vez maior de pessoas está adotando apartamentos ou pequenas casas como moradia, onde, por falta de espaço, nem sempre é possível manter floreiras ou jardins para o cultivo de flores. Mesmo quando há espaço, cuidar das plantas exige tempo, o que dificilmente se tem de sobra. Apesar disso, poucos são os que não gostam de ter flores em casa. Comprá-las todas as semanas, nas floriculturas, talvez não seja uma boa ideia para quem não pode aumentar a despesa sem correr o risco de desequilibrar o orçamento doméstico. Assim, a solução ideal são as flores artificiais, capazes de substituir as naturais com vantagens: são mais duráveis, portanto econômicas, e prestam-se muito bem a todos os tipos de arranjos.

A seguir, as explicações de como fazer papoulas e crisandálias. Uma vez dominada a técnica, confeccionar outras variedades de flores torna-se bastante simples e um trabalho gostoso de ser realizado, pois estimula a capacidade criadora do executante.

A SUAVIDADE DAS PAPOULAS

Muito delicadas, as papoulinhas ficam lindas num centro de mesa, dando mais vida à sala.

Material necessário — Tecido nanzuque ou cetim branco (20 cm dá para uma dúzia de flores), cetim verde, sisal preto fino (8 cm para cada pistilo), arame n.° 24 x 25, papel crepom verde e marrom, anilina amarela e roxa, farinha de mandioca crua, álcool, cola, boleador n.° 7 e uma faquinha n.° 1.

Execução — Cortar o tecido (nanzuque ou cetim) segundo o molde, duas vezes para cada papoula. Em seguida, fazer o tingimento dessa maneira: dissolver a anilina roxa em álcool (quanto mais álcool, mais clara fica a tinta) até conseguir a cor desejada. Então, mergulhar cada pétala num recipiente com álcool puro e, depois, na anilina dissolvida-. Deixar secar bem e bolear as pétalas. Para isso, é necessário que elas fiquem sobre uma superfície fofa (uma almofadinha de areia, por exemplo) para que possam tomar a forma. Esquentar o boleador em uma espiriteira, fogareiro ou mesmo na chama de um fogão, e calcá-lo no centro de cada flor, tornando-a côncava. Por último, fazer um pequeno corte no centro da flor.

O pistilo é feito com sisal dobrado ao meio, onde se fixa o arame, que, depois, deve ser coberto com papel crepom verde. O próximo passo é desfiar as pontas do sisal, formando uma flor, cobri-las com um pouco de cola e mergulhá-las na farinha de mandioca previamente tingida   com   anilina   amarela   (3 gotas para 1 colher de farinha). A seguir, aplicar um pouco de cola na parte inferior do pistilo (para fixar as pétalas) e passar o arame pelo centro de duas florezinhas até que estas cheguem ao pistilo.

Para as folhas, cortar o cetim verde conforme o molde e frisar o centro de cada uma delas com a faquinha aquecida, de acordo com o desenho constante do molde. Forrar um pedaço de arame com papel crepom marrom. Colar o arame na face inferior da folha.

O ENCANTO DAS CRISANDÁLIAS

Bastante decorativas, as crisandálias são ótimas para enfeitar qualquer ambiente.

Material nescessário — Tecido nanzuque (meio metro para cada crisandália), cetim veYde, sisal cor natural, arame n.° 16 x 40 para as hastes e 19 x 25 para as folhas, papel crepom verde e marrom, farinha de mandioca crua, álcool, cola, anilina amarela e laranja, faquinha n.° 1.

Execução — Cortar o nanzuque segundo os moldes (4 vezes para cada tamanho de pétalas) e tingir na anilina amarela e laranja previamente dissolvidas no álcool. As pétalas menores devem receber uma tonalidade mais escura e, as maiores, mais clara. Depois que estiverem secas, frisar o centro de cada pétala com a faquinha já aquecida. Pistilo e folhas são feitos da mesma forma que os da papoula. Tudo pronto, é só montar a crisandália, colocando as pétalas no arame com o pistilo, uma por uma, de forma que fiquem desencontradas. Em primeiro lugar, são inseridas as pétalas menores, sendo que as duas primeiras devem ficar quase fechadas. Isso se consegue amarrando-as na base do pistilo com fio de linha forte. Depois, ir colocando as outras pétalas em ordem de tamanho crescente, usando cola para fixar cada uma delas.

No Comments

Leave a Reply